Unesp lança software gratuito para o manejo racional da água utilizada na agricultura irrigada

A Faculdade de Engenharia – FE, da Universidade Estadual Paulista – UNESP, campus de Ilha Solteira, disponibilizou um software para o manejo racional da água utilizada na agricultura irrigada.

O programa, batizado de Sistema para Manejo da Agricultura Irrigada – SMAI, foi idealizado pela Área de Hidráulica e Irrigação da FE, coordenada pelo professor Fernando Braz Tangerino Hernandez.

De acordo com o pesquisador, o sistema pode ser aplicado em todas as culturas. “Ele é muito versátil. Se o usuário dispuser de todas as variáveis climáticas, vai usá-las para a estimativa da evapotranspiração de referência. Caso falte alguma, pode estimá-la pelas equações já existentes”, explicou.

O software é resultado do projeto “Modelagem da Produtividade da Água em Bacias Hidrográficas com Mudanças de Uso da Terra”, financiado pela FAPESP e pela Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco – FACEPE.

Os criadores do aplicativo são os analistas de sistemas Jean Carlos Quaresma Mariano, que teve bolsa da FAPESP, e o engenheiro ambiental Gilmar Oliveira Santos. Ambos realizam pesquisas de pós-graduação sob orientação de Hernandez.

De acordo com os pesquisadores, o desenvolvimento do software levou dez meses e seus principais benefícios são estimar rapidamente a evapotranspiração, que é a perda de água do solo por evaporação e a perda de água da planta por transpiração.

O programa é capaz de apresentar a taxa dos dois tipos de evapotranspiração:

• a de referência, um índice calculado com base em uma cultura hipotética que cobre todo o solo, como a grama;

• e a de cultura, uma conta feita para uma espécie vegetal específica. Para isso, o sistema usa o método mais preciso da atualidade

Esta última é a equação de Penman-Monteith, a mesma fórmula empregada pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação – FAO-ONU.

Hernandez afirma que a ferramenta foi desenvolvida pensando na simplicidade do uso.

“Um tutorial mostra como entrar com os dados a partir de uma planilha e, caso falte alguma das variáveis, ela é estimada por rotinas internas. Não acreditamos que o usuário terá dificuldades em utilizá-lo”, disse.

O software pode ser utilizado em qualquer região, sem a necessidade de adaptações.

“Talvez a maior dificuldade seja o usuário dispor das variáveis climáticas da região de interesse e também a divulgação das mesmas diariamente. Essa seria a situação ideal para que de fato o software possa ser utilizado para manejo da irrigação”, afirmou.

O software está disponível para download gratuito em

clima.feis.unesp.br/smai

Matéria da Agência FAPESP

Indicada por Edimilson Domingos Macedo

Publicada pelo EcoDebate, 14/12/2011

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.