Uma breve história da energia solar

Painéis-solares-no-deserto

Você sabia que o princípio da conversão de luz solar em eletricidade foi descoberto ainda no século 19?

Sabia que essa descoberta foi feita por um cientista francês?

E se eu te dissesse que uma das maiores contribuições na evolução da energia solar fotovoltaica foi feita por uma empresa da área de petróleo e gás?

A história da energia solar fotovoltaica é fascinante, por isso decidimos fazer um resumo com os principais momentos que marcam a evolução dessa tecnologia até os dias atuais.


O efeito fotovoltaico é definido em 1839

A transformação de luz solar em eletricidade ocorre graças ao chamado efeito fotovoltaico, cujo nome foi criado através da junção das palavras foto (luz) e volt, que é a unidade de medida de potencial elétrico.

Esse efeito foi definido em 1839 pelo físico francês Edmond Becquerel, através de um experimento muito simples. Usando dois eletrodos colocados em um eletrólito (solução condutora de eletricidade), ele verificou que a eletricidade do sistema aumentava com havia presença de luz solar.

Em 1873, foi a vez de Willoughby Smith, um engenheiro eletricista britânico, dar sua contribuição para o desenvolvimento da energia solar fotovoltaica, ao descobrir que o selênio, que é um material isolante, ou seja, que não conduz eletricidade, se transformava em condutor quando era exposto à luz. Essa propriedade é chamada de fotocondutividade.

Três anos depois, em 1876, o mesmo Willoughby Smith descobriu que o selênio não apenas era fotocondutor, mas que também era capaz de produzir eletricidade a partir da luz solar.

Ele tentou então construir células solares usando selênio, mas elas não funcionaram bem.

A primeira célula fotovoltaica é criada e o efeito fotoelétrico é confirmado

Envolvidas em pastilhas de selênio, surgiram em 1883 as primeiras células fotovoltaicas funcionais.

Depois, em 1887, o famoso cientista alemão Henrich Hertz descobriu que a radiação ultravioleta era capaz de fazer faíscas saltarem dos eletrodos das célucas fotovoltaicas.

Em 1905, Albert Einstein publicou um artigo sobre o efeito fotoelétrico, que é quando um material expele elétrons ao ser exposto à luz. Até aquele momento, não havia nenhuma evidência do efeito fotoelétrico, mas isso foi somente até 1916, quando o cientista norte-americano Robert Millikan conseguiu demonstrar o efeito em laboratório.


A popularidade da energia solar aumenta e vai para o espaço

A partir de 1947, ao final da II Guerra Mundial, o uso equipamentos que usavam energia solar começou a se tornar cada vez mais popular nos Estados Unidos.

Mas o primeiro uso comercial da energia solar fotovoltaica aconteceu no espaço, para fornecer eletricidade para satélites e estações espaciais, a partir de 1958.

A eficiência da energia solar aumenta, os custos são reduzidos, e os governos começam a incentivá-la
Entre os anos de 1959 e 1970, houve uma intensa discussão sobre como aumentar a eficiência dos painéis solares, que até então era de apenas 14% e como diminuir seus custos. Somente em 1970, porém, que a Exxon Corporation (atual Exxon Mobil.

Sim, aquela mesmo do ramo de petróleo e gás) descobriu como produzir painéis solares mais eficientes e mais baratos.

Uma empresa do ramo de petróleo ajudando no desenvolvimento da energia solar. Quem diria, hein?

Em 1977, o governo dos Estados Unidos começou a incentivar oficialmente o uso da energia solar, lançamento do Instituto de Pesquisa em Energia Solar. Não demorou muito e os governos de outros países começaram a fazer a mesma coisa.

Surgem carros e aviões movidos a energia solar e as primeiras usinas solares
O primeiro avião movido a energia solar foi construído em 1981 pelo engenheiro aeronáutico americano Paul MacCready. O avião, que usava 1600 células fotovoltaicas nas asas, voou da França até a Inglaterra.

No ano seguinte, foi a vez do primeiro carro movido a energia solar estrear, desenvolvido na Austrália.

Já a partir de 1986, as primeiras plantas de energia solar em larga escala começaram a ser desenvolvidas. Em 1999, a maior usina solar em atividade era capaz de produzir mais de 20 kilowatts, quase nada perto das centenas de megawatts de capacidade das usinas atuais.

Altos e baixos da energia solar no mundo

Em 1999 foi desenvolvida a célular fotovoltaica mais eficiente até hoje, capaz de converter 36% da luz solar em eletricidade.

Em 2008, devido à crise, o governo da Espanha reduziu os subsídios que haviam para incentivar a produção de equipamentos de energia solar. A medida impactou diretamente o mercado de energia solar em todo o mundo.

Por falta de demanda no mercado para seus produtos de alta tecnologia, em 2009 duas grandes empresas do ramo de energia solar fecharam as portas: Evergreen Solar e Solyndra.

Em 2012, foi inaugurada a então maior usina solar do mundo, o Golmud Solar Park, na China, com 200 megawatts de capacidade. Menos de 3 anos depois, em Janeiro de 2015, seria criadas 9 usinas maiores, e o posto de maior usina solar do mundo ficaria com Desert Sunlight Solar Farm, no Estados Unidos, com incríveis 550 megawatts de capacidade.


O que o futuro reserva para o mercado de energia solar

A utilização da energia solar fotovoltaica em massa é simplesmente inevitável. Há uma pressão cada vez maior em todo o mundo para que os governos incentivem o uso de energias limpas e renováveis.

Além disso, a cultura sustentável está se tornando cada vez mais popular. As pessoas estão cada vez mais genuinamente preocupadas com o meio ambiente e o aquecimento global.

A criação de usinas solares mostrou-se muito lucrativa e tornou-se a bola da vez nesse mercado. Novas usinas devem surgir nos próximos anos, com capacidades cada vez maiores.

O custo dos painéis solares caiu pela metade nos últimos 5 anos e vai continuar caindo, por duas razões: com a demanda aumentando, os fabricantes podem se dar ao luxo de reduzir a margem de lucro para vender em grandes quantidades, e também porque as técnicas de fabricação vão ficando cada vez mais eficientes.

Aqui no Brasil, o mercado de energia solar apenas engatinha, apesar de ser o país com maior potencial para exploração dessa tecnologia. Mesmo sendo pequeno, porém, esse mercado está em franco crescimento, com cada vez mais empresas atuando no território nacional.

Pouco a pouco, os governos federal e estaduais estão aprovando incentivos diversos para baratear a energia solar. A microgeração distribuída, regulamentada pela Aneel em 2012, reduziu consideravelmente o tempo necessário para recuperar o investimento em sistemas de energia solar, e espera-se que ainda em 2015 sejam aprovadas a nível nacional um pacote de incentivos que irão reduzir ainda mais o custo de instalação de sistemas de energia solar.

Venha para o futuro, use energia solar!

Faça como os alemães, os chineses e os americanos: invista em energia solar. É mais barato que um carro, só que invés de fazer você gastar com gasolina, seguro e manutenção, um sistema de energia solar fotovoltaica vai fazer você economizar dinheiro.

Entre em contato, preencha nosso formulário de contato e um de nossos consultores irá tirar todas as suas dúvidas e te ajudar a embarcar no futuro. Clique aqui.

Fonte: ExploringGreenTechnology.com

http://www.smartsolar.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.