TRANSPOSIÇÃO DO RIO GRANDE.

TRANSPOSIÇÃO DO RIO GRANDE.

No dia 5 de outubro o Sr.Vicente Andreu, Presidente da Agência Nacional de Águas – ANA,  afirmou que a transposição de águas do Rio Paraíba do Sul para o Sistema Cantareira é possível, em audiência pública na Câmara Municipal de São Paulo. Neste artigo estamos sugerindo que  ANA também avalie a transposição do Rio Grande, a partir do lago  de Furnas. O reservatório de Furnas tem o dobro da capacidade máxima do reservatório da Cantareira, portanto condição favorável para uma transposição. Trata-se de implantar tubulações ao longo de aproximadamente 180 km até o Rio Jacareí, já na área urbana da Grande São Paulo. Abaixo uma visão desta opção:

furnas_05

 

 

O caminho destas tubulações teriam que superar menos de 100 metros de desnível, fato este plenamente possível economicamente de ser atingido.

Claro que medidas para compensar a diminuição da geração das usinas de Furnas e as demais situadas no Rio Grande devem ser adotadas. Sugerimos a construção de 4 usinas nucleoelétricas logo a jusante da usina de Furnas, com potencia instalada total de 4.400 MWe, equivalente a uma geração hídrica de 7.200 MWe, energia de sobra para dar a necessária flexibilidade para a transposição. Com a implantação gradativa destas 4 usinas nucleoelétricas, entre 2022 a 2025, (uma usina a cada ano), haverá a possibilidade de recuperação do nível do reservatório de Furnas, sem prejuízo para os usos múltiplos da água deste reservatório e com aumento da geração de energia elétrica – ou seja, um processo “Ganha – Ganha”.

Cabe às autoridades do setor elétrico e à ANA aprofundar a análise sobre esta sugestão.

Eng. Everton Carvalho

Presidente da ABIDES

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.