Amenizar o problema da escassez de água no planeta pode estar mais ligado a uma boa ideia na cabeça do que a altas cifras no bolso. Na Etiópia, a esperança para solucionar a seca veio da união do bambu e do plástico. Juntos, os materiais deram origem a uma torre simples e barata que ajuda a obter água a partir do ar.

 

No Brasil, empresas apostam que iniciativas como essas também possam ser aplicadas em território nacional, de forma sustentável e inovadora. A Braskemmaior petroquímica das Américas e líder mundial na produção de biopolímeros, e a ONG Endeavor, procuram projetos, que, assim como a torre africana, utilizam o plástico para melhorar a vida das pessoas.

 

Se você também tem alguma ideia guardada a sete chaves, a hora é de abrir para o mundo. De quebra, você pode ganhar uma forcinha de profissionais capacitados. Inscreva sua proposta no Braskem Labs.

 

 

Entenda como funciona a engenhoca que tira água do ar

 

 A estrutura chamada de WarkaWater, desenvolvida pelo arquiteto italiano Arturo Vittori, é feita sobre uma base de bambu e forrada internamente por uma malha plástica, do tipo que se encontra em redes de proteção.

 

O sistema é simples: por meio de condensação, os fios de polipropileno captam gotículas de orvalho da manhã e escorrem a água para uma bacia abaixo da torre. Cada estrutura WarkaWater é capaz de recolher 100 litros de água por dia e custa aproximadamente  USD $1.000,00.

 

EM

 

Warka Water v1.6 | Cable Tests from Architecture and Vision on Vimeo.