Brasil pode produzir 10 bi de litros de etanol de segunda geração até 2025, diz ONU

 

Estudo da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento avaliou potencial do país no setor e contou com a colaboração de pesquisadores brasileiros. 

 

Para cumprir os compromissos firmados na 21ª Conferência das Partes da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 21), no último mês de dezembro, em Paris, o Brasil precisa diminuir suas emissões de gases de efeito estufa em 37% até 2025.

Uma … Ler mais

Leia mais

DIVERSIFICAÇÃO DO ETANOL 2G ABRE NOVOS NICHOS DE MERCADO

 

Limpador multiuso Frosch Bio-Spiritus feito a base de bioetanol 2.0

 

O desenvolvimento de um novo processo biotecnológico para produção de etanol de segunda geração (2G), chamado sunliquid, capaz de converter açúcares em produtos para aplicações além do combustível automotivo, motivou uma parceria inédita entre as empresas Clariant, detentora da tecnologia, e a Werner & Mertz, fabricante dos produtos de limpeza na Alemanha.

O consultor de Emissões e Tecnologia … Ler mais

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DA AGROPECUÁRIA PARA A REDUÇÃO DE EMISSÕES DE GEE NO BRASIL

 

Instalada em dezembro de 2014, a Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura é uma iniciativa formada por associações setoriais, como a União da Indústria de Cana-de-Açúcar – UNICA, empresas, organizações da sociedade e indivíduos, interessados em contribuir para o avanço e a sinergia das agendas de proteção, conservação e uso sustentável das florestas, agricultura sustentável e mitigação e adaptação às mudanças climáticas, no Brasil e no mundo.

O ano

Ler mais
Leia mais

ETANOL DE CANA PODERÁ IMPULSIONAR DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA GUATEMALA

CanaW

 

Para reduzir a sua dependência dos combustíveis fósseis no setor de transportes, cuja demanda por petróleo importado tem gerado seguidos prejuízos à economia do país, o governo da Guatemala estuda adicionar até 10% de etanol de cana à gasolina, mais conhecido como E10.

Embora  este novo combustível ainda não esteja disponível em larga escala, o diretor Executivo da União da Indústria de Cana-de-Açúcar – UNICA, Eduardo Leão de Sousa,

Ler mais
Leia mais

Quatro décadas de crise energética e a falta de um planejamento eficiente

“No levantamento feito pela Associação Americana de Eficiência Energética, dos 16 países analisados, o Brasil está em penúltimo lugar nesse quesito”, informa o pesquisador.

 

Imagem: www.ambienteenergia.com.br

 

Apesar de o Brasil ter uma matriz energética diversificada, o planejamento energético no país “é muito setorial”, ou seja, “não existe um planejamento integrado, principalmente entre a oferta e a demanda”, pontua André Tosi Furtado na entrevista a seguir, concedida à IHU Ler mais

Leia mais
Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.