SINIR – Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão de Resíduos Sólidos

O Plano Nacional de Resíduos Sólidos faz uma avaliação bastante breve das perspectivas de implantação do Sistema Nacional de Informações sobre a Gestão de Resíduos Sólidos – SINIR que deve ser implantado até dezembro/2012 para disponibilizar estatísticas e indicadores, coletar e sistematizar dados e informações sobre os serviços públicos e privados de gestão e gerenciamento de resíduos, caracterizar as demandas e ofertas de serviços necessários, avaliar as metas, resultados e impactos dos planos e ações de gerenciamento e das atividades de logística reversa, disseminando informações úteis à sociedade sobre a situação e as atividades realizadas para a implantação e fortalecimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos –

Lei 12.305/2010 e Decreto 7.404/2010.

O SINIR deve ser formado por diversos sistemas de informações que estão previstos no Decreto 7.404/2010, artigo 72.

A maior dificuldade certamente está na articulação dos dados e informações que são heterogêneos e diferenciados, principalmente entre:

Sistema Nacional de Informações sobre Meio Ambiente – SINIMA,

Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos – SNIRH e o

Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento Básico – SINISA

Que são indispensáveis à coleta, qualidade e exatidão dos dados.

É necessário padronizar os sistemas para que as informações dos diversos níveis, como municípios, estados, órgãos federais e sistemas possam ser integrados.

O Plano Nacional de Resíduos Sólidos destaca que os indicadores já propostos pelo SINISA e que devem fazer parte do SINIR são principalmente os que traduzem a eficiência das gestões municipais.

Também são necessários indicadores que podem ser agrupados em função dos objetivos e metas como:

a) dados sobre a produção real de resíduos em relação aos agentes de coleta e tratamento;

b) dados sobre a projeção do volume de resíduos com base em indicadores econômicos e demográficos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE;

c) instrumentos econômicos;

d) metas e cenários;

e) eficiência da logística reversa;

f) custos financeiros dos sistemas de gestão;

g) receitas financeiras da valorização;

h) penalidades;

i)prevenção dos gases de efeito estufa – GEE.

Todas as informações disponíveis no SINIR, observando-se os sigilos comerciais, industriais e financeiros, estudos, relatórios, dados, inventários e instrumentos referentes à regulação e fiscalização dos serviços de gestão de resíduos sólidos, os direitos e deveres dos usuários e operadores serão disponibilizados na rede mundial de computadores para livre acesso.

Artigo de Antonio Silvio Hendges, Articulista do Portal EcoDebate, é Professor de Biologia; Agente Educacional; assessoria em resíduos sólidos, educação ambiental e tendências ambientais.

Email: as.hendges@gmail.com

EcoDebate, 19/03/2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.