RJ: Reservas particulares estaduais protegem 6 mil hectares de Mata Atlântica

O Estado do Rio ganhou nesta segunda-feira – 27/05,  Dia da Mata Atlântica, mais 16 Reservas Particulares do Patrimônio Natural – RPPN estaduais, que totalizam mais 4,5 mil hectares de proteção integral em áreas particulares.

 

A solenidade de entrega dos certificados, no auditório SEA/INEA, contou com as presenças do secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, e da presidente do Instituto Estadual do Ambiente – INEA, Marilene Ramos.

 

Entre as unidades se destaca a Reserva Ambiental Fazenda Caruara, da LLX, situada em São João da Barra. Com 3.844 hectares, a reserva é a maior do estado e a maior do Brasil em área de restinga.

 

Outra unidade certificada é a Rildo de Oliveira Gomes II, com 23,82 hectares e localizada em Teresópolis, numa propriedade do ator Marcos Palmeira. O secretário do Ambiente ressaltou a importância da parceria com estes proprietários, que se juntam ao estado no esforço pela preservação.

 

– Antes de criarmos o programa de apoio às RPPNs, em 2007, o processo de criação destas reservas era muito burocratizado e o proprietário não recebia nenhum reconhecimento.

 

Estes proprietários são parceiros e devem ser tratados como parceiros, com reconhecimento e apoio – afirmou Minc.

 

O secretário ressaltou algumas das iniciativas tomadas, além do apoio às RPPNs, dentro da agenda verde, como a criação de unidades de conservação de proteção integral, como:

–  os parques estaduais da Pedra Selada, da Lagoa do Açu, do Cunhambebe

–  em breve, do Parque Estadual do Mendanha; a criação do serviço de guarda-parque e das Unidades de Policiamento Ambiental – UPAM;

–  o ICMS Verde, que incentiva a criação de unidades de conservação municipais;

–  e a construção de infraestrutura para o promover o ecoturismo nos parques, entre várias iniciativas.

 

– A criação de RPPN, que pode influenciar inclusive a demarcação de parques estaduais, são fundamentais para a formação de corredores de biodiversidade, que contribuem para preservar espécies vegetais e animais, algumas destas inclusive ameaçadas de extinção – explicou Minc.

 

A presidente do INEA fez a entrega do certificado da RPPN Fazenda Caruara ao representante da LLX, o gerente de Estudos Ambientais Marcos Sampol.

 

Marilene Ramos destacou que, além da criação de RPPN, o governo estadual quase dobrou a área protegida de proteção integral do estado desde 2007, através da criação e ampliação de unidades de conservação.

 

– Com a criação destas reservas particulares, estes proprietários estão olhando para o futuro, para as futuras gerações, e sua iniciativa também contribui para os municípios onde vivem, através do aumento da arrecadação proveniente do ICMS Verde – disse a presidente do INEA.

 

A coordenadora de Mecanismos de Proteção à Biodiversidade, Daniela Albuquerque, que representou o diretor de Biodiversidade e Áreas Protegidas do INEA, André Ilha, informou que o instituto está prevendo certificar outros 500 hectares de novas reservas até o final do ano.

 

Além disso, está prevista para o mês que vem a aprovação do primeiro projeto que prevê uso de recursos de compensação ambiental para a elaboração de plano de manejo de RPPN.

 

– Promovemos também duas oficinas, com uma terceira prevista para agosto, para orientar sobre a elaboração dos planos de manejo, instrumento fundamental para a gestão da unidade – disse a coordenadora.

 

Representando os proprietários falaram os representantes da LLX, Marcos Sampol, e da RPPN Chalé Club Alambary – Resende, Carlos Augusto Gomes – respectivamente a maior e a menor entre as reservas certificadas.

 

Sampol disse que a empresa se sentia honrada com a criação da maior reserva particular em área de restinga do país.

 

Carlos Augusto destacou a forma como o processo de criação de RPPN está sendo conduzido.

 

– Quero parabenizar o Inea pela visão empreendedora, porque os processos são conduzidos com objetividade e, principalmente, sem burocracia – afirmou.

 

A solenidade também contou com a presença da diretora de Gestão do Conhecimento da SOS Mata Atlântica, Márcia Hirota. Ela anunciou que já estão abertas as inscrições para o novo edital do Programa de Incentivo às RPPN da entidade.

 

Em uma década, o programa já destinou cerca de R$ 6 milhões para a criação e apoio às RPPN em todo o país.

 

Informe do INEA, publicado pelo EcoDebate, 29/05/2013

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.