Projeto Biomas inicia pesquisas de vegetação e solo na Caatinga

 

A  equipe de pesquisadores e técnicos da Embrapas Floresta e Embrapa Pesca e Aquicultura visitou a fazenda “Não me Deixes”, no município de Quixadá, no Ceará, dando seguimento às pesquisas que lá são feitas pelo Projeto Biomas. Ela é a propriedade referência no Bioma Caatinga.

 

A fazenda pertence à família da escritora cearense Rachel de Queiroz, que foi transformada em RPPN – Reserva Particular do Patrimônio Natural,  em 1999 por iniciativa da própria escritora. A propriedade possui elevado grau de conservação da vegetação nativa, com características importantes a serem identificadas e caracterizadas pela pesquisa.

 

Os pesquisadores iniciaram os estudos interativos de vegetação, solos e geomorfologia. A equipe de solos, com o Dr. Gustavo Curcio, Dr. Renato Dedecek e  Dra. Michele Ramos, fez os estudos de segmentação da paisagem para reconhecer características que possam determinar mudanças na cobertura vegetal.

 

Os pesquisadores Michele Ramos e Gustavo Curcio fazem análise do solo

 

Foram feitas prospecções de solo, além da abertura de sete perfis,  cinco nas encostas e dois em planície, para a retirada de amostras, partindo do topo das encostas até a planície.

 

Na área estudada, foram identificadas expressivas mudanças dos solos, o que possibilita um melhor entendimento sobre a composição da vegetação e respectivas alterações graduais detectadas.

 

A partir deste estudo, o dr. Alexandre Uhlmann e a dra. Annete Bonnet conduziram as pesquisas em vegetação, em áreas próximas,  de encosta e planícies.

 

“Conhecer a vegetação específica presente em diferentes tipos de solos auxilia muito na amostra das espécies a serem escolhidas para as pesquisas futuras do projeto Biomas”, exemplifica Alexandre Uhlmann, pesquisador da Embrapa Florestas.

 

Os pesquisadores Alexandre Uhlmann e Annete Bonnet colhem informações da vegetação.

 

A análise integrada dos estudos de solos e vegetação, somada às informações obtidas junto a moradores da região, bem como proprietários e administradores das fazendas, possibilitam um melhor entendimento da dinâmica ambiental.

 

O atual administrador da fazenda “Não me Deixes”, Manoel Dias Tavares, morador desde 1958, passou informações valiosas sobre as mudanças do clima, as espécies arbóreas e os sistemas de produção que já existiram e ainda existem na fazenda.

 

Atualmente, a propriedade produz milho e feijão, em pequena escala, e cria gado, ovelhas e cabras, com preservação ambiental da caatinga. “Tem que continuar conservando. Hoje em dia está tudo mudado. As secas estão muito perto umas das outras e fica muito mais difícil manter a caatinga”, alerta o seu Manoel.

 

Manoel Dias Tavares mora na região há mais de 50 anos

 

Nota Técnica de Pesquisa – Acesse a análise dos pesquisadores sobre o solo e vegetação da caatinga

 

Sobre o Projeto Biomas

 

O projeto Biomas, fruto de uma parceria entre a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil  – CNA  e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – EMBRAPA, é uma iniciativa inédita no Brasil e tem como objetivo identificar formas sustentáveis para viabilizar a propriedade rural brasileira considerando o componente arbóreo em seus sistemas propostos.

 

Os estudos estão sendo desenvolvidos nos seis biomas brasileiros. O Projeto Biomas tem o apoio do SEBRAE, Monsanto, John Deere e Vale Fertilizantes.

 

Assessoria de Comunicação Digital do Sistema CNA/SENAR

(61) 2109-1382 www.canaldoprodutor.com.br

www.projetobiomas.com.br

 

http://www.canaldoprodutor.com.br/

 

06/03/2014 | Meio ambiente

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.