Plano de Recepção dos Refugiados da Venezuela

Plano de Recepção dos Refugiados da Venezuela

epaselect epa05998421 Demonstrators take part in a protest against the Government in Caracas, Venezuela, 29 May 2017. The Venezuelan opposition marched to the Ombudsman's Office during a protest 'for the fallen' as Chavist groups showed support for the Constituent Assembly called by Venezuelan President Nicolas Maduro.  EPA/MAURICIO DUENAS

Com o agravamento da crise política e econômica da Venezuela, há claros indícios do aumento da imigração de refugiados do país irmão para o Brasil. Com a decisão do Presidente Maduro e levar em frente a eleição de uma assembléia nacional constituinte, causando o aumento dos protestos dos opositores a situação tende a se agravar afetando a população nas suas condições básicas de sobrevivência. Este é o cenário mais provável pelos indicadores da crise em especial a escassez de produtos básicos para a sobrevivência das pessoas, o que deve resultar num grande aumento do fluxo de refugiados para a Colômbia e para o Brasil.

Independente da posição do Brasil em relação à disputa interna da Venezuela, cabe a nós preparar um Plano de Recepção de Refugiados da Venezuela, de modo a acolher os irmãos venezuelanos de forma digna e acima de tudo organizada para inserir os refugiados na nossa sociedade no nosso mercado de trabalho. Para tal o Governo Federal deve imediatamente montar um centro de triagem para recepcionar,  abrigar e selecionar os trabalhadores e suas famílias, identificar suas capacitações e habilidades de modo a encaminha-los para cursos de capacitação e reciclagem nos centros de formação técnica nos diversos estados.

De acordo com essas capacitações o governo deverá criar um programa de incentivo de absorção dessa mão de obras nos centros dinâmicos do país tanto na indústria, serviços e no agronegócio utilizando recursos dos organismos multilaterais como a ONU, o Banco Mundial e a OIT, já que o Brasil também passa por uma crise de desemprego. Entretanto a nossa economia é muito mais forte e diversificada, e pode muito bem absolver até 5 milhões de venezuelanos de forma produtiva e dando uma demonstração de solidariedade com o povo irmão da Venezuela.

Esta iniciativa é urgente e requer compromisso do Governo Federal para que a situação atual que já é grave em Roraima não se transforme em uma catástrofe humanitária.

epaselect epa05998421 Demonstrators take part in a protest against the Government in Caracas, Venezuela, 29 May 2017. The Venezuelan opposition marched to the Ombudsman's Office during a protest 'for the fallen' as Chavist groups showed support for the Constituent Assembly called by Venezuelan President Nicolas Maduro.  EPA/MAURICIO DUENAS
epaselect epa05998421 Demonstrators take part in a protest against the Government in Caracas, Venezuela, 29 May 2017. The Venezuelan opposition marched to the Ombudsman’s Office during a protest ‘for the fallen’ as Chavist groups showed support for the Constituent Assembly called by Venezuelan President Nicolas Maduro. EPA/MAURICIO DUENAS
epaselect epa05998421 Demonstrators take part in a protest against the Government in Caracas, Venezuela, 29 May 2017. The Venezuelan opposition marched to the Ombudsman's Office during a protest 'for the fallen' as Chavist groups showed support for the Constituent Assembly called by Venezuelan President Nicolas Maduro.  EPA/MAURICIO DUENAS
epaselect epa05998421 Demonstrators take part in a protest against the Government in Caracas, Venezuela, 29 May 2017. The Venezuelan opposition marched to the Ombudsman’s Office during a protest ‘for the fallen’ as Chavist groups showed support for the Constituent Assembly called by Venezuelan President Nicolas Maduro. EPA/MAURICIO DUENAS

Eng. Everton Carvalho

Presidente da ABIDES

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.