O que se sabe sobre o rompimento das barragens em Mariana – MG

Bento Rodrigues foi tomado pela lama que saiu das barragens e ficou devastado.

rompimento-das-barragens-em-Mariana (1)

Algumas perguntas sobre o rompimento de duas barragens em Mariana, no interior de Minas Gerais, permanecem sem resposta. Mas outras questões já estão claras.

Veja o que se sabe até o momento sobre a tragédia:

1 – Onde ficam e quais são as barragens que se romperam?

São as barragens do Fundão e de Santarém, que ficam no subdistrito de Bento Rodrigues, a 35 km do centro do município de Mariana, cidade histórica mineira a 124 km de distância de Belo Horizonte.

2 – A quem pertencem as barragens?

À mineradora Samarco, empresa fundada em 1977 que produz pequenas bolas de minério de ferro usadas na produção de aço. A Samarco é controlada pela Vale e pela anglo-australiana BHP Billiton. Ela opera em Minas Gerais e no Espírito Santo e é a 10ª maior exportadora do país.

Após a tragédia, a empresa suspendeu as atividades de mineração na região. O governo de Minas embargou o licenciamento de funcionamento da empresa, que não pode extrair até o cumprimento de exigências de segurança.

3 – O que as barragens continham?

Lama resultante do rejeito da produção de minério de ferro. De acordo com a Samarco, o rejeito é composto, em sua maior parte, por areia e não apresenta nenhum elemento químico danoso à saúde.

A equipe técnica do Ministério Público coletou amostras da lama da barragem para verificar se ela é tóxica ou não. O parecer sobre a tragédia deve ficar pronto no começo de dezembro.


4 – Quando as barragens se romperam?

Na tarde de quinta-feira (5), por volta de 15h30. A barragem do Fundão, que é maior, se rompeu primeiro.

5 – O que aconteceu com o subdistrito de Bento Rodrigues?

Foi tomado pela lama que saiu das barragens e ficou devastado. A avalanche destruiu a maioria dos imóveis. Seiscentas e doze pessoas ficaram desabrigadas e foram resgatadas pelo Corpo de Bombeiros. Eles abandonaram as casas e fugiram para partes altas do distrito, mas afirmaram que nenhum sinal de alerta foi emitido. A Samarco admitiu que avisou moradores somente por telefone.

Os desabrigados estão hospedados em hotéis e pousadas da região. O governo federal liberou o saque do FGTS aos atingidos pelo desastre. Mariana decretou estado de emergência.

6 – Outras localidades foram afetadas?

Sim. O detrito das barragens tomou conta, por exemplo, do rio Gualaxo e chegou ao município de Barra Longa, a 60 km de Mariana e a 215 km de Belo Horizonte. Seis localidades de Mariana, além de Bento Rodrigues, foram atingidas.

Como a lama também chegou ao rio Doce, o Serviço Geológico Brasileiro alertou 15 cidades nos Estados de Minas Gerais e Espírito Santo para o risco de enchente. O abastecimento de água deve ser interrompido em municípios capixabas para evitar a contaminações.

7 – Quantas pessoas morreram e quantas estão desaparecidas?

Até o momento, há três mortes confirmadas. O motorista Cláudio Fiúza morreu ao sofrer um mal súbito quando viu a avalanche de lama.

O corpo do motorista Sileno Narkevicius de Lima, funcionário de uma empresa terceirizada que prestava serviço para a mineradora Samarco, foi identificado neste domingo (8).

O corpo de Waldemir Aparecido Leandro, 48, também funcionário de prestadora de serviços da Samarco. Outro corpo foi resgatado nesta tarde, no município de Barra Longa, mais ainda não foi identificado.Há dois corpos ainda não identificados.

São 24 os desaparecidos, sendo cinco crianças. Bombeiros estão fazendo varreduras nas áreas atingidas, com o apoio cães treinados. Um grupo de bombeiros especializados em soterramentos participa das buscas. Três feridos estão internados no hospital João 23, em Belo Horizonte.

Fonte: uol.com.br

Submitted by Revista Ecoturismo

http://revistaecoturismo.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.