O Meio Ambiente e o Papel da Cúpula dos Povos

Oficialmente conhecida por Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável de 1992, realizada no Rio de Janeiro, ficou conhecida por EcoRio-92 e foi um marco na discussão do meio ambiente.  O evento foi especial não só porque discutiu o meio ambiente de modo integrado às dimensões econômica e social; ele também inovou no modo e na importância que a sociedade civil teve na participação e discussões da conferência.

Até aquela data, a participação da sociedade civil era feita por meio das delegações de seus países. A partir dali, houve um reconhecimento de uma sociedade civil global, preocupada com seus direitos e com o meio ambiente, e que transcende os interesses dos Estados que, individualmente, compõem a Organização das Nações Unidas. Desde então, organizações não-governamentais, representantes de populações tradicionais e outras formas organizadas de representação têm espaço e voz na Conferência.

E por isso a Cúpula dos Povos é tão importante nesse evento de junho: em junho de 2012, comemorando os 20 anos da Rio-92, novamente no Rio, a sociedade civil global se encontra entre os dias 15 e 23 de junho, no Aterro do Flamengo no Rio de Janeiro, para pedir avanços no meio ambiente e no respeito a todos.

Assim como no Fórum Social Mundial, que ocorre em paralelo ao Fórum Econômico, a Cúpula dos Povos (www.cupuladospovos.org.br) ocorrerá em paralelo a Rio+20, e tem um programa de atividades interligadas, abertos a exposições de experiências de sucesso e ao diálogo com a sociedade.

A Abides entende que é hora de fazermos mais pelo meio ambiente em todas as suas dimensões: social, cultural, ecológica, e de viabilizarmos reais alternativas que sejam viáveis economicamente e que tragam o respeito e a dignidade a todos.

É hora de trazermos soluções e de debatermos a crise existente; e de impedir que esta crise seja um freio à preocupação ambiental. Precisamos de alimentos, precisamos de energias, precisamos de estabilidade financeira; e para conseguirmos tudo isso temos que olhar com respeito para o meio ambiente e usá-lo sabiamente para buscar estratégias sustentáveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.