MT na liderança da Soja

MT na liderança da Soja

Mato Grosso, líder na produção de soja no Brasil, manterá o topo do ranking por pelo menos mais dez anos até a safra 2020/2021, conforme o relatório “Brasil – Projeções do Agronegócio 2010/2011 a 2020/2021” do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizado em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e divulgado na quinta-feira (16). Neste mesmo intervalo, segundo o ministro Wagner Rossi, o Brasil deve avançar na consolidação de potência agrícola e disputar a liderança na produção de alimentos com os Estados Unidos.

Na safra 20/21, Mato Grosso deve atingir produção de 25,75 milhões de toneladas, expansão de 27,4% sobre a atual temporada. Na safra 2010/2011, o Estado bateu o recorde de produção ao ultrapassar a oferta de 20,21 milhões de toneladas. Se a projeção para a próxima década se confirmar, Mato Grosso estará ofertando sozinho, 30% do total nacional.

Os números superlativos na atualidade ou nas projeções do Mapa não surpreendem sojicultores estaduais, visto que o Estado já assegura cerca de 30% da produção nacional. “Esse números soam como um reconhecimento da importância de Mato Grosso – coisas que já sabemos e disseminamos há tempos – e espero que seja um sinal de que as instâncias superiores do Brasil estejam de fato nos enxergando e acreditando no nosso potencial”, adverte o diretor da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Famato), Nelson Piccoli.

O relatório do Mapa/Embrapa projeta a expansão estadual na soja, no milho e na cana-de-açúcar. Para a soja, além do crescimento de 27,4% – o maior percentual entre os estados avaliados, Rio Grande do Sul e Paraná – na produção, está previsto o incremento de 26,6% na área plantada que passaria dos atuais 6,64 milhões de hectares (ha) para 8,40 milhões na safra 20/21.

Em relação ao milho, as projeções apontam para recordes com Mato Grosso assegurando o maior crescimento entre os outros dois estados comparados no relatório – Minas Gerais e Paraná -. O Estado passa dos atuais 1,97 milhão ha para 2,52 milhões e a produção avança de 9,01 milhões de toneladas (t) para 11,61 milhões, evoluções de 27,5% e 28,9%, respectivamente.

Para cana-de-açúcar, Mato Grosso apresenta a segunda maior variação, sendo a primeira pertencente a Goiás, cuja produção expandirá 42,1%. No Estado a safra canavieira deixa a atual previsão – colheita ainda em ascensão nesta safra – de 16,55 milhões t para chegar a 21,57 milhões t no ciclo 20/21, crescimento de 30,4%. Em área plantada a cana deixa os 236 mil ha para atingir extensão 26,77% maior, ou 299 mil ha.
Fonte: Diário de Cuiabá

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.