FUNAI e IBAMA desativam garimpos ilegais na Terra Indígena – TI Kayapó, no Sul do Pará

TI Kayapo-01Desde a última sexta-feira, dia 26/, uma operação de fiscalização conjunta entre a FUNAI  e o IBAMA percorre a Terra Indígena – TI  Kayapó, com foco no combate ao garimpo ilegal de ouro.A TI Kaiapó é uma das maiores do país, com 3,3 mi ha, localizada no sul do Pará.

 

No final de julho, representantes dos órgãos notificaram os garimpeiros, que insistiram na prática ilícita, desencadeando a operação.

 

Nos dois primeiros dias, foram desativados dois acampamentos, e nove balsas, três escavadeiras, um caminhão e uma caminhonete, usados pelos garimpeiros, foram destruídos. Devido ao alto risco de segurança, as máquinas e equipamentos que estão sendo encontrados durante a operação devem ser inutilizados no próprio local.

 

Além de servidores, a FUNAI participa da operação com veículos, e o Ibama, com dois helicópteros.

 

TI Kayapo-02

 

Entre os diversos prejuízos causados pela atividade garimpeira ilegal, a contaminação da água por mercúrio, o assoreamento dos rios, o aumento de casos de malária – devido à água empoçada – e até mesmo os conflitos internos entre os indígenas são os que mais afetam esse povo.

 

TI Kayapo-03

O problema do garimpo é recorrente na TI Kayapó, e ações de fiscalização são realizadas com frequência na região há décadas.

 

A operação prossegue nos próximos dias, para desativar outras áreas identificadas previamente em atividades de monitoramento.

 

Fonte: Funai

Publicado no Portal EcoDebate, 01/10/2014

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.