Dia da Mata Atlântica marca desafio de proteger o que ainda resta

 

MATA ATLANTICA

 

É impossível falar da Mata Atlântica, uma das florestas mais exuberantes do mundo, sem usar superlativos para dimensionar sua importância e evidenciar sua urgente proteção.

No dia 27 de maio comemora-se o Dia da Mata Atlântica. A data marca a necessidade de barrar o desmatamento, recuperar o que foi degradado, ampliar o número de áreas protegidas, públicas e privadas, e melhorar a gestão daquelas que já existem.

 

Pela conservação da Mata Atlântica

 

Variados tipos de florestas, relevos e populações dão cara à Mata Atlântica, ao longo de 17 estados brasileiros, Paraguai e Argentina. Recordista mundial em biodiversidade, essa floresta tropical é também uma das mais ameaçadas do planeta, com 8,5%* de sua área original sobrevivendo na região mais desenvolvida e ocupada do país.

A partir desse cenário, o Programa Mata Atlântica do WWF-Brasil vem trabalhando com a missão de aliar o bem-estar humano à conservação da biodiversidade, qualidade e integridade do solo e dos recursos hídricos.

Para isso, atua com linhas de ação focadas nos poucos remanescentes que se mantém: a linha de planejamento ecorregional, que visa nortear ações para a conservação e uso sustentável dos recursos naturais; a de áreas protegidas, apoiando a criação e implantação de Unidades de Conservação – UC  no Bioma; e a de reabilitação da paisagem, visando um aumento da área de florestas integradas às atividades econômicas.

Duas importantes concepções orientam as iniciativas do programa desde o início: a definição de Ecorregiões – extensas partes de terra ou água que compartilham espécies e condições ambientais comuns  e a Visão de Biodiversidade,  uma ferramenta de planejamento que identifica áreas críticas a serem conservadas em escala de 50 a 100 anos.

Os projetos se basearam, assim, na Ecorregião Florestas do Alto Paraná, Ecorregião Florestas Costeiras de Pernambuco e Ecorregião da Serra do Mar. Aos poucos, vem-se promovendo a articulação entre diferentes públicos que interferem na manutenção da Mata Atlântica: proprietários de terra, poder executivo e legislativo, organizações locais entre outros.

 

Mata_atlantica

 

DICAS DE COMO CONTRIBUIR PARA A CONSERVAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA

 

Mais do que regiões isoladas de natureza selvagem, a Mata Atlântica interfere diretamente na vida de 70% da população brasileira. Sua importância se reflete na economia, no desenvolvimento, nas relações sociais nas cidades, entre muitos outros aspectos.
A floresta é fonte de água, controla o clima, preserva espécies, protege encostas, permite pesquisas… ou seja, oferece serviços diretos para quem vive nos cerca de 3 mil municípios de seu domínio.

De outro lado, as atividades humanas influenciam a sobrevivência dos últimos remanescentes de Mata Atlântica: pela produção de lixo, poluição das águas e uso de energia, pelo consumo de alimentos e de bens insustentáveis, além de ocupações irregulares, turismo predatório, exploração ilegal.

A questão ambiental está presente em todas as áreas da vida e, mais do que parece, desenvolver atitudes responsáveis pode implicar em sociedades mais sustentáveis. Também produz conscientização de mais pessoas e, consequentemente, aumenta as chances de conservação da natureza.

 

ACESSE:

http://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/areas_prioritarias/mata_atlantica/faca_sua_parte/

 

http://www.wwf.org.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.