Desenvolvimento_Sustentável: Panacéia ou Solução

O Dr. Felix de Bulhões, fundador do CEBDS (Conselho Empresarial de Desenvolvimento Sustentável) ainda nos idos da década de 90 alertava que o Desenvolvimento Sustentável não deve ser visto como uma panacéia, capaz de responder aos anseios por um planeta mais limpo e mais seguro ambientalmente, mas sim como um conjunto de programas, projetos e ações concretas vinculadas a metas e resultados mensuráveis e auto-sustentáveis. Esta filosofia vem norteando a atuação da ABIDES, na busca de indicar e aplicar soluções que tenham conseqüência em termos de mobilização social na busca pela real sustentabilidade.

Estamos desenvolvendo o programa Agenda Mauá – Rio +20, que se trata de uma ação institucional na Região de Visconde de Mauá abrangendo os Estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro e os municípios de Resende (RJ), Itatiaia (RJ), Bocaina de Minas (MG) e Liberdade (MG) com foco na Valoração dos Serviços Ambientais utilizando a metodologia TEEB (The Economics of Ecosystems and Biodiversity), desenvolvido pela UNEP (United Nations Environment Programme). A proposta desta metodologia é atribuir valores aos serviços ambientais que permitem que a natureza propicie produtos naturais, forneça recursos hídricos para os diversos usos (humano, energético, animal, irrigação) propicie os recursos florestais tão necessários para a sobrevivência da humanidade. Esta é a forma correta de inovar, trazendo à luz das informações o valor daquilo que a natureza nos oferece, que é base das principais atividades de turismo, produção de alimentos e produção de energia, realizadas na Região de Visconde de Mauá.

A metodologia TEEB, aplicada a aproximadamente 100 projetos no mundo, sendo 8 deles na América do Sul e 4 no Brasil, é um instrumento eficaz e confiável para gerar valores para serviços ambientais selecionados e apropriados para a região de Visconde de Mauá de forma que nas soluções que serão oferecidas a partir deste diagnóstico, a variável ambiental estará incorporada nos demonstrativos contábeis e projeções financeiras dos projetos que serão conseqüência do estudo da ABIDES. Com isto, o setor privado, os agentes públicos e os agentes financiadores estarão de pose dos indicadores de viabilidade em curto, médio e longo prazo em termos de retorno, não só econômico, mas principalmente em termos sócio-ambientais, como preconiza o conceito de responsabilidade sócio-ambiental pública e corporativa.

Para ilustrar uma fase do trabalho de diagnóstico da ABIDES, levantamos três casos de tratamento de resíduos orgânicos na produção de adubo orgânico pelo sistema de compostagem em diferentes contextos e finalidades. Visitamos o Horto Florestal da Indústrias Nucleares do Brasil – INB (Resende/RJ), o Projeto Piloto de Compostagem da Associação Bem Viver – CCVM de visconde de Mauá e o Projeto “Lixo Mínimo” do Hotel Pousada Bühler, em Maringá de Minas/MG, iniciativas que apresentam resultados concretos em termos de sustentabilidade, na prática, com resultados mensuráveis, como deve ser o verdadeiro Desenvolvimento Sustentável.

O vídeo abaixo apresenta o resultado da nossa pesquisa de campo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.