Debate no stand ((o))eco: Proteção da Biodiversidade Marinha

((o))eco

 

Os ambientes costeiros e marinhos são os mais ameaçados do planeta.

 

A ocupação costeira desordenada, empreendimentos e crescimento das cidades nas áreas de manguezais que servem de berçários da vida marinha, poluição e falta de saneamento, são os grandes perigos que enfrentam estes ambientes.

 
Cerca de 80% dos recursos pesqueiros no Brasil são considerados sobreexplotados, ameaçados ou, até mesmo, ameaçados de extinção.

 

“É assustador mas não é só no Brasil. No mundo, 76% dos recursos pesqueiros estão nesse tipo de ameaça. O setor pesqueiro mundial está em crise e o Brasil não está diferente.”

 

“Os estoques pesqueiros estão longe de serem inesgotáveis”, afirmou Leandra Gonçalves da SOS Mata Atlântica.

 

Nesta semana, ((o))eco acompanha o VII CBUC para discutir os rumos e desafios da conservação e o papel que desempenham no desenvolvimento econômico e social.

 

A  grande lacuna no Brasil é a preservação marinha em que apenas 1,57% está  em áreas protegidas.

 
Em entrevista no stand de ((o))eco, durante o VII Congresso Brasileiro  de Unidades de Conservação – CBUC, em Natal, Ana Paula Leite Prates do  Ministério do Meio Ambiente e Leandra Gonçalves do SOS Mata Atlântica  discutem perigos e desafios para ambientes costeiros e marítimos.

 


25 de Setembro de 2012

 

www.oeco.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.