Combate aos metais pesados: Bactéria promove crescimento de plantas, minimizando efeitos da contaminação ambiental

O lançamento de metais pesados na natureza, em forma de resíduos industriais, é um dos mais graves problemas ambientais em todo o mundo.

A contribuir para a gravidade do problema está o fato de que os metais pesados não podem ser destruídos pelo homem.

E, quando bioacumulados no ambiente, passam de uma espécie a outra ao longo da cadeia alimentar.

Cientistas da UENF vêm estudando formas de minimizar este problema ambiental através da fitorremediação, que é a despoluição dos solos utilizando plantas.

No entanto, este processo esbarra em um problema: o lento crescimento dos vegetais e sua reduzida biomassa.

Uma forma de intensificar a produção de biomassa é a utilização de bioinoculantes promotores do crescimento vegetal.

Em sua pesquisa de doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Biociências e Biotecnologia da UENF, a bióloga Aline Chaves Intorne mostrou que a bactéria Gluconacetobacter diazotrophicus tem vasto potencial para a promoção do crescimento vegetal, podendo contribuir para uma maior eficácia do processo de fitorremediação.

— Concluimos que esta bactéra é um organismo promissor e que merece atenção da comunidade científica.

Seu potencial biotecnológico não abrange somente a agricultura, onde se concentra o maior número de trabalhos, mas inclui também indústria de alimentos, construção civil, metalurgia e farmacêutica, afirma Aline, que teve a orientação do professor Gonçalo Apolinário, do Laboratório de Biotecnologia – LBT da UENF.

Isolada em 1988, a bactéria G. diazotrophicus teve seu genoma sequenciado recentemente, impulsionando estudos de genômica funcional.

Trata-se de uma bactéria promotora do crescimento vegetal identificada como um endofítico diazotrófico, que é um micro-organismo que vive no interior de plantas, capaz de fixar nitrogênio.

— A pesquisa teve por objetivo explorar as características relevantes desta bactéria, com ênfase em sua resistência a metais pesados.

Faltam estudos quanto à produção de sideróforos e fitormônios, por exemplo, que são características importantes para a promoção do crescimento vegetal.

Embora sejam muito úteis na indústria, os metais pesados estão entre os agentes tóxicos mais conhecidos.

Entre os mais perigosos estão o mercúrio, o cádmio, encontrado em baterias de celulares, cromo e o chumbo.

Nos sistemas biológicos, muitos metais são essenciais para o crescimento dos organismos, entretanto são requeridos em baixas concentrações.

No organismo humano, os metais pesados podem provocar diversas doenças, algumas muito graves.

Acesse a tese de doutorado de Aline aqui.

Informe da UENF, publicado pelo EcoDebate, 18/12/2012

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.