Cerrado ganha centro de pesquisa em Brasília


Proposta do CEEX é atuar na promoção e difusão do conhecimento científico e tradicional sobre o bioma, difusão de tecnologia social, educação, e na interme
diação entre o homem e o ambiente.

cerrado

No próximo dia 30 Brasília ganhará importante espaço dedicado à pesquisa e conservação do Cerrado. O Centro de Excelência de Estudos sobre o Cerrado – CEEX será inaugurado dentro da área da Estação Ecológica Jardim Botânico de Brasília – EEJBB e é fruto de uma parceria entre a instituição e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade – ICMBio, vinculado ao Ministério do Meio Ambiente, Universidade de Brasília – UnB e outros órgãos ligados à conservação e recuperação da diversidade biológica do bioma.

O centro terá área total de 1.622 m² e será dotado de laboratório multidisciplinar, biblioteca digital e herbário virtual, além de cinco áreas para exposições e eventos. O prédio terá, ainda, um espaço multiuso para seminários, palestras e apresentações, um mirante com visão panorâmica para a Estação Ecológica Jardim Botânico de Brasília, entre outras possibilidades.

INOVAÇÃO

Dotado de uma proposta arquitetônica inovadora, a construção do Ceex contou com o apoio do Governo do Distrito Federal, que investiu recursos de compensação ambiental. De acordo com o diretor do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade do Cerrado e Caatinga do ICMBio – CECAT, o biólogo e conservacionista Onildo Marini Filho, as instalações agregam diversos atores que atuam pela conservação e uso sustentável do cerrado.

O centro promoverá ações de conservação, pesquisa, educação ambiental, palestras, vai gerar banco de dados, divulgar ações, capacitação de professores e uma série de outras ações alinhadas ao conhecimento e à conservação.

CONHECIMENTO

A proposta do Ceex é atuar na promoção e difusão do conhecimento científico e tradicional sobre o bioma Cerrado, sua valorização, proteção e desenvolvimento, difusão de tecnologia social, educação, e na intermediação entre o homem e o ambiente. E, a partir de junho, o visitante do Jardim Botânico e os pesquisadores das diversas áreas ligadas ao Cerrado terão acesso aos espaços do centro.

Para aperfeiçoar suas atividades de pesquisa, o Cecat/ICMBio passará a ocupar área dentro do Ceex, nos próximos dois meses. Essa transferência, segundo Onildo Marini, é resultado de acordo de cooperação com o Jardim Botânico e UnB: “Isso aumentará o potencial de pesquisa sobre a biodiversidade e sobre a conservação da diversidade biológica do cerrado”, acrescentou.

http://revistaecoturismo.com.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.