Brasil envia medicamentos e insumos para tratamento de doentes afetados por epidemia de cólera no Haiti.

Entre o material está hipoclorito de sódio para purificar água e soros e sais para hidratar pacientes. Dois epidemiologistas do Ministério da Saúde também seguirão para o país do Caribe

O Ministério da Saúde enviou nesta quarta-feira (27), para o Haiti, medicamentos e insumos que serão utilizados no tratamento das pessoas afetadas pela epidemia de cólera que atinge o país. Entre o material enviado estão frascos de hipoclorito de sódio, sais para reidratação oral, soro injetável, luvas e equipamentos para aplicação de soro. A carga, com aproximadamente quatro toneladas, partiu de Brasília, às 15h30, em um voo da Força Área Brasileira (FAB), que fará escala em Boa Vista (Roraima). A aeronave deverá chegar a Porto Príncipe, capital haitiana, na manhã desta quinta-feira (28). 

Em entrevista no 6º Comando da Aeronáutica, em Brasília, o representante do Ministério da Saúde no comitê gestor Brasil-Haiti, Carlos Felipe D’Oliveira, afirmou que o material enviado atende à solicitação feita pelo governo haitiano. Os medicamentos são suficientes para atender até três mil pessoas. “Não adianta mandar muitos medicamentos, por questão de logística e armazenamento. O Ministério poderá enviar mais suprimentos conforme a necessidade indicada pelo governo do Haiti”. 

Ainda esta semana, dois epidemiologistas brasileiros do Ministério da Saúde seguirão rumo a Porto Príncipe, para apoiar as ações do Ministério da Saúde do Haiti. Os técnicos brasileiros viajarão em voo comercial. Eles vão se juntar a sete profissionais de saúde brasileiros – que já estavam no país – para elaborar protocolos clínicos e sanitários de combate à cólera. “O objetivo é criar uma barreira sanitária para evitar a propagação da doença em Porto Príncipe. A preocupação do governo local é que a doença se espalhe na capital, onde ainda vivem mais de um milhão de pessoas em alojamentos e acampamentos, em condições sanitárias precárias, desde o terremoto que atingiu o país em janeiro”, explicou D& rsquo;Oliveira. 

Os sete profissionais brasileiros estão no Haiti para ministrar o curso de formação da primeira turma de 60 agentes comunitários de saúde do Haiti. O curso começou na última segunda-feira (25), na cidade de Carrefour, e segue até 15 de dezembro. O tema da primeira aula foi sobre o manejo da cólera. A formação desses profissionais faz parte da continuidade das ações de ajuda humanitária e cooperação técnica com o governo do Haiti desde o terremoto de janeiro de 2010. 

Para o comandante da aeronave da Força Aérea Brasileira, Marco Aurélio de Oliveira, a missão de ajuda humanitária é de extrema importância para o povo haitiano. “É motivo de orgulho para nós participar de uma missão que poder ajudar a salvar vidas”. Desde janeiro, o tenente já comandou mais de 200 viagens ao Haiti, uma a cada 20 dias, para transportar materiais de apoio logístico e humano para as tropas brasileiras que estão no país do Caribe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetans WP-Copyprotect.